FANDOM


Vila Franca do Campo
Brasão de Vila Franca do Campo Bandeira de Vila Franca do Campo
Brasão Bandeira
Localização de {{{Município}}}
Localização
Gentílico:
Vila-franquense
Área:
78,00 km²
Pop. Residente:
11 150 hab. (2001)
Densid. Populacional:
hab./km²
Eleitores Inscritos:
{{{eleitores}}} hab. (2001)
Número de Freguesias:
6
Fundação / Povoamento:
1472 / {{{povoamento}}}
Grupo:
{{{grupo}}}
Sub-grupo:
{{{sub-grupo}}}
Nome da Ilha:
Ilha de São Miguel
Ex-distrito:
Ponta Delgada
Orago:
S.Miguel
Feriado Municipal:
24 de Junho
Código Postal:
9680 Vila Franca do Campo
Endereço:
Sede Municipal:
Largo do Município
Web Site:
www.cmvfc.pt
E-mail:
Correio Eletrónico
geral@cmvfc.pt
Municípios dos Açores

Vila Franca do Campo é uma vila portuguesa na ilha de São Miguel, Região Autónoma dos Açores, sede de um município com 78,00 km² de área e 11 150 habitantes (2001), subdividido em 6 freguesias. O município é limitado a norte pelo município da Ribeira Grande, a leste pela Povoação, a oeste por Lagoa e a sul tem litoral no oceano Atlântico.

Frente a Vila Franca do Campo, a cerca de 1200 m do porto do Tagarete, localiza-se o Ilhéu de Vila Franca, um cone de tufos palagoníticos fortemente litificados, que contém no seu interior uma caldeira inundada de forma quase perfeitamente circular. O Ilhéu de Vila Franca é desde 1993 uma reserva natural, constituindo ainda um importante local de veraneio.

As freguesias de Vila Franca do Campo são as seguintes:

HistóriaEditar

Vila Franca do campo foi durante o primeiro século de povoamento a mais importante povoação da ilha de São Miguel, nela se fixando o capitão do donatário e as principais instituições da ilha (alfândega, ouvidoria), pelo que merece o epíteto de primeira capital micaelense.

Ficheiro:Vila Franca do CampoB.JPG

Aquela situação terminou quando na noite de 21 para 22 de Outubro de 1522, um violento sismo provocou um grande escorregamento de terras nas encostas sobranceiras à vila, causando um lahar que soterrou a maior parte do povoado. O efeito combinado do sismo e do soterramento provocou a morte a alguns milhares de pessoas. O sismo, hoje conhecido por subversão de Vila Franca, causou ainda mortes em muitas outras povoações de São Miguel e também grandes escorregamentos de terras na Maia e região circunvizinha e em Ponta Garça. A tragédia de Vila Franca inspirou muitos escritos e pelo menos um romance de raiz oral intitulado Romance que se fez d'algumas mágoas, e perdas que causou o tremor de Vila Franca do Campo, editado por Teófilo Braga.

Apesar da destruição, Vila Franca manteve até ao século XVIII, quando a Ribeira Grande a suplantou em importância, o papel de segunda povoação da ilha (depois de Ponta Delgada, nela se desenrolando alguns dos mais importantes eventos das lutas contra entre os partidários de D. António, Prior do Crato e de Castela, que culminaram na batalha naval de Vila Franca, travada ao longo do litoral sul da ilha de São Miguel a 26 de Julho de 1582. Após a batalha, o marquês de Santa Cruz de Mudela, D. Álvaro de Bazán, desembarcou na vila, nela estabelecendo o seu quartel general e ali fazendo supliciar cerca de 800 prisioneiros franceses e portugueses, no maior massacre jamais ocorrido nos Açores.
Em Julho de 1562 nasceu nesta povoação Bento de Goes (ou Bento de Góis) que empreendeu na Ásia Central, entre 1602 e 1606, a maior viagem de exploração terrestre portuguesa e uma das maiores de sempre da história da humanidade.

Ligações Externas Editar