FANDOM


Ilha Terceira é uma das nove ilhas dos Açores e integra as ilhas do "Grupo Central". Dista cerca de 76 milhas a noroeste da Ilha de São Miguel e ocupando uma superfície de 381,96 Km2. Seu nome se deve a ter sido a "terceira" das ilhas açorianas a ser descoberta e povoada. No século XIV, era chamada de Ilha Brasil. Na designação , era a Ilha de Jesus Cristo. Editar

Tem como principal porta de entrada o porto comercial da Praia da Vitória e o Aeroporto internacional das Lajes, localizado na Vila das Lajes, a 3 Km da cidade da Praia da Vitória. Devido às suas excelentes pistas e estratégica posição geográfica, a Base Aérea 4 da FAP sedia o Comando da Zona Aérea dos Açores e um importante Destacamento da Força Aérea dos EUA.

Geologia Editar

A formação da ilha começou à 3 520 milhões de anos e decorreu em cinco fases. O núcleo da ilha é o complexo vulcânico dos Cinco Picos, com uma cratera de 7 Km. Seguiu-se a formação do complexo vulcânico de Guilherme Moniz, no centro da ilha, com cratera de 15 Km de diâmetro. Emergiu há cerca de 600 mil anos, resultando em numerosos domos traquíticos, dois cones surtsianos - o Monte Brasil e o Ilhéu das Cabras - e várias nuvens ardentes. A 350 mil anos, o estratovulcão de Santa Bárbara emergiu a oeste da ilha original. Sucessivamente, depósitos pomíticos, escoadas de lava e domos traquíticos formaram um vulcão em escudo com flancos de pequena inclinação (com uma altitude de 1 021 m e diâmetro de 13 Km). Nas falhas radiais do vulcão, encontram-se cones deescórias e domos com escoadaslávicas (como o Pico das Faias, o Pico do Teles, o Pico Negro, o Pico da Serrata, ...).

Da zona de Lajes até ao lugar dos Biscoitos, depósitos ignimbritos e a presença de várias domas, derrames lávicas e produtos piroclásticos atestam a atividade explosiva do vulcão do Pico Alto. Por fim, a maior parte da zona central e sudeste da ilha, durante um período de 2 mil anos, foi coberto por fissuras basálticas. As erupções da Terceira foram de caráter extremamente explosivo com deposição e consolidação de fluxos de cinzas e nuvens ardentes!

Sua História Editar

A ilha começou a ser povoada a partir da sua doação, por carta do infante D. Henrique, datada de 21 de março de 1450, do nóbre flamengo Jácome de Bruges, capitão-do-donatário da ilha. Poucos anos mais tarde, Jácome de Brugues fixou a sua residência no sítio da Praia, lançando os fundamentos da sua igreja matriz - a Igreja de Santa Cruz - em 1456, de onde passou a governar a capitania até à data do seu desaparecimento (1464?), em circunstâncias não esclarecidas. Chegados os primeiros frades que logo tratam de edificar uma ermida, e em 1470, o Convento de S. Francisco de Angra. Entre os primeiros povoadores cita-se outro flamengo, Fernão Dulmo [ Fernão de Olm ], que recebeu terras nas Quatro Ribeiras, entre o Biscoito Bravo e a ribeira da Agualva. Segundo o historiador Francisco Ferreira Drummond, "ali desembarcou com trinta pessoas, cultivou a terra e deu princípio à igreja".

Em 1460, o infante D. Henrique doou a ilha e a Graciosa ao infante D. Fernando, seu sobrinho e filho adotivo. Falecido este último em 1470, foi a infanta D. Beatriz que assumiu o governo da donataria, durante a menoridade do infante D. Diogo. Em resultado do desaparecimento de Brugues e sem herdeiro masculino, em 1474, a capitania foi dividida em duas novas capitanias:

  • a Capitania de Angra - entregue a João Vaz Corte Real, a 2 de abril
  • a Capitania da Praia - entregue a Álvaro Martins Homem, a 17 de fevereiro - que já se tinha instalado e construído moinhos em Angra.

A 1 de junho de 1489, as ilhas da Terceira e Graciosa foram doadas por João II ao infante D. Manuel, duque de Beja e de Viseu, futuro rei D. Manuel I.

Angra do Heroísmo, fundada por Álvaro Martins Homem, foi elevada a vila em 1478. É sede do bispado dos Açores desde 1534, ano em que foi elevada a cidade por D. João III, situada a sul da Ilha Terceira junto da angra (pequena baía) que lhe deu o nome. Vila de São Sebastião, a 12 de fevereiro de 1502, extinta a 24 de outubro de 1855.

Após a vitória na batalha da Salga, a 25 de julho de 1581, na Terceira, e da derrota na Batalha Naval de Vila Franca do Campo (26 de julho de 1582), a resistência da Terceira persistiu até ao verão de 1583. Nesse período, enquanto sede da monarquia portuguesa, a ilha chegou a ter, além da presença do soberano, órgãos como a Casa da Suplicação, as Mesas de Desembargo do Paço e Casa da Moeda. Após subjugarem a resistência local, na sequência do desembarque da Baía das Mós (26/27 de julho de 1583), os espanhóis organizaram na ilha um Governo-geral. Foi dificultado pela existência de uma grande resistência espanhola em Angra, que perdurou até à rendição do Castelo de São João Baptista, em março de 1642.

A sua heróica resistência ao domínio espanhol, a sua fidelidade ao partido de D. Prior do Crato, que nela estabeleceu o seu governo desde 5 de agosto de 1580 a 6 de agosto de 1582, a forma como expulsou os espanhóis, em março de 1642, valeram-lhe o título de "sempre leal cidade", que D. João IV lhe conferiu. Mais tarde, D. Afonso VI foi mantido preso no Castelo de São João Baptista, de 21 de junho de 1669 a 30 de agosto de 1684.

Com a aclamação de João IV de Portugal (1641), as ilhas do arquipélago aderiram imediatamente à Restauração da Independência, o que, contudo, foi dificultado pela existência de uma grande resistência castelhana em Angra do Heroísmo, que perdurou até à rendição da Castelo de São João Baptista em março de 1642.

Tendo abraçado a causa do constitucionalismo, em 1828, a cidade de Angra foi sede da Junta Provisória em nome da rainha D. Maria II, filha de D. Pedro IV. É nomeada a capital do reino a 15 de março de 1830. Foi sede do Capitania-geral dos Açores e residência dos capitães-generais, por Decreto de 30 de agosto de 1766. Isso se manteria por 65 anos, até ser extinta pelo Decreto n.º 28, de 4 de junho de 1832, assinado em Ponta Delgada por D. Pedro IV.

A Capitania Geral deu lugar à Província dos Açores, uma estrutura administrativa efémera que foi extinta pelo Decreto n.º 64, de 28 de junho de 1833, que a dividiu em duas: a Província Oriental dos Açores, englobando as ilhas de São Miguel e de Santa Maria, com capital em Ponta Delgada; e a Província Ocidental dos Açores, com capital em Angra e englobando as restantes ilhas. Esta divisão da Província, feita por exigência das elites da Ilha de São Miguel, iniciou o processo que levaria à criação dos três distritos administrativos. Pelo Decreto de 12 de janeiro de 1837, D. Maria II conferiu à cidade o título de "mui nobre, leal e sempre constante cidade de Angra do Heroísmo" e condecorou-a com a Grã-Cruz da Torre e Espada.

A cidade sofreu com o violento sismo de 1 de janeiro de 1980. A 7 de dezembro de 1983, o centro histórico da cidade de Angra do Heroísmo tornou-se Património Mundial da UNESCO. Em 1981, 20 de junho, foi elevada a Praia da Vitória a categoria de cidade. Em 1991, 11 de maio, recebeu a visita do Papa João Paulo II aos Açores com deslocação à sede do Bispado dos Açores, a Sé Catedral de Angra.

Economia Editar

Saiba Mais Editar

Ligações Externas Editar